A- A A+ |
Sobral é tudo.
Sobral é da gente.
Sobral é agora.

Servidores da Coordenadoria dos Direitos Humanos e da Assessoria de Comunicação da Secretaria dos Direitos Humanos e da Assistência Social (Sedhas) e membros do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPDS) conheceram, nesta segunda-feira (09/05), em Fortaleza, a Central de Interpretação de Libras (CIL), do Governo do Ceará.

A CIL integra a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência (Copid), da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), e recebe demandas para promover interpretação para pessoas surdas em audiências, perícias, atendimentos em órgãos públicos, dentre outros.

“A CIL tem como objetivo atender as demandas das pessoas surdas do Estado. Essas demandas são atendidas de forma gratuita. Também atendemos outros municípios por meio do WhatsApp e de vídeo”, afirma Aljaniele Amorim, uma das cinco intérpretes que a Central dispõe para atendimento.

O presidente do CMDPDS, Maurício Maceu, destaca a necessidade de uma CIL para Sobral: “Precisamos muito implementar uma Central dessas no município, pois temos muitas pessoas surdas, uma comunidade muito grande no município”. Para o presidente, “será um marco para Sobral”.

O Governo do Estado implantou o órgão em 2015. Fortaleza e Juazeiro do Norte já têm centrais municipais. Agora, Sobral busca implantar sua própria CIL para atender demandas da comunidade surda do município. O processo de discussão para a implantação tem como plano de fundo a adesão de Sobral ao Ceará Acessível, medida do Governo do Estado que visa tornar os municípios mais adequados à participação plena das pessoas com deficiência na sociedade.

Acompanharam a visita, a gerente de Articulação da Coordenadoria dos Direitos Humanos, Noraney Lima; o supervisor do Núcleo da Pessoa com Deficiência e Idosa, Williams Rodrigues; o coordenador de Comunicação da Sedhas, Marcos Araújo; o presidente do CMDPDS, Maurício Maceu; e os conselheiros Iara Leite, da Apae de Sobral, Diego Fonseca e Paulo Henrique Soares, da Associação dos Surdos de Sobral (Assol).

 
Facebook