A- A A+ |
Sobral é tudo.
Sobral é da gente.
Sobral é agora.

 

A Prefeitura de Sobral e o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Sobral (CMDPDS) realizaram, nessa segunda-feira (20/06), no Theatro São João, a comemoração dos dez anos do Selo de Acessibilidade do município. Na ocasião, foram certificadas dez entidades (instituições, empresas e serviços públicos) com a edição do Selo 2022, nas categorias ouro, prata e bronze.
Com apresentações culturais protagonizadas por pessoas com deficiência (Samba Apaeano, Coral do Centro de Formação e Apoio ao Surdo - Cefas e da bailarina Niedja, da Apae), o evento fez ainda uma homenagem aos ex-presidentes do CMDPDS e ao ex-vereador Paulo Vasconcelos, que criou a Lei do Selo.
Na abertura, usaram da palavra a vice-prefeita Christianne Coelho, a secretária dos Direitos Humanos e Assistência Social, Andrezza Coelho, Myrla Lopes e Vyna Leite, da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Pessoa com Deficiência, e o presidente do CMDPDS, Maurício Maceu.
“Tenho a grande satisfação de estar aqui hoje celebrando dez anos do Selo, que foi instituído por um projeto de lei do Paulo Vasconcelos, quando o Veveu era prefeito e eu era vereadora. Muito importante que hoje seja uma política pública do município e, sobretudo, por estarmos aqui neste Theatro, um ícone da cidade, recebendo as empresas e instituições”, afirmou a vice-prefeita Christianne Coelho.
“Hoje estamos aqui celebrando dez anos do Selo e dez instituições foram agraciadas. Para nós, é um prazer estarmos fomentando a acessibilidade por parte das empresas e do Poder Público. Compreendo a importância de um momento como este para ampliar o olhar, garantir o acesso a todas as pessoas”, afirmou a secretária dos Direitos Humanos e da Assistência Social, Andrezza Coelho.
O evento contou ainda com palestras de Myrla de Sousa Lopes, coordenadora da Coordenadoria Estadual da Política para Pessoa com Deficiência e Idosa, e Vyna Leite, assessora especial do órgão da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS).
Myrla destaca que “a Lei 1.070, que criou o Selo, é de 2011, antes da Lei Brasileira de Inclusão, que é de 2015. Sobral desponta antes das imposições federais. É gratificante ver as políticas públicas aflorando em Sobral e fico feliz em poder compartilhar das experiências de vocês: quando a acessibilidade se faz presente, as diferenças se esvaziam”.
O SELO
Criado em 2011, pela Lei Municipal nº 1.070, o Selo tem como objetivo estimular os órgãos públicos e as entidades privadas a promoverem a acessibilidade da pessoa com deficiência. As instituições certificadas se submeteram a um edital do CMDPDS e passaram pela avaliação da Comissão de Acessibilidade do órgão, recebendo uma pontuação que definiu as notas e as categorias.
Foram agraciadas as seguintes instituições: Casa do Cidadão, Colégio Luciano Feijão, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) campus Sobral, Faculdade Luciano Feijão (FLF), Faculdade Pitágoras, Laboratório Clínico de Sobral (Lacliso) - unidade do Medical Center São Lucas e unidade do Centro, Faculdade 5 de Julho, Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia (ESPVS) e Núcleo de Atendimento e Práticas Integradas (Napi/Centro Universitário Inta).

Facebook