A Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas), vai beneficiar 800 pessoas, de famílias em situação de vulnerabilidade e risco social, com o Programa Acessuas Trabalho, do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). A expectativa é de que 150 pessoas sejam beneficiadas ainda em 2018 e outras 650, em 2019, com orientações, oficinas e inserção dos usuários da Política de Assistência Social no mercado de trabalho.

O Programa Acessuas Trabalho desenvolve ações em quatro eixos: identificação e sensibilização dos usuários, desenvolvimento de habilidades para o mundo do trabalho, oferta de acesso às oportunidades e monitoramento do percurso do usuário. O público alvo são as populações urbanas e rurais em situação de vulnerabilidade e/ou risco social com idade entre 14 e 59 anos, com prioridade para usuários de serviços, projetos e programas de transferência de renda socioassistenciais.

“O nosso objetivo é promover a integração dos usuários da Política de Assistência Social ao mundo do trabalho, por meio da articulação, identificação, sensibilização, desenvolvimento de habilidades e orientações, oferecendo suporte para que estas famílias superem as situações de risco e vulnerabilidade que estejam vivenciando", afirma o secretário Júlio César Alexandre.

Os interessados podem procurar os seis Centros de Referência da Assistência Social (Cras), na sede e nos distritos, munidos dos seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de residência, comprovante de escolaridade e número do Nis (Número de Identificação Social), que pode ser comprovado através do cartão do Bolsa Família (para beneficiários do programa) ou de Folha Resumo (para beneficiários do Cadastro Único, em geral). A Folha Resumo pode ser solicitada na Casa do Cidadão (Rua Cel. José Saboia, 513, Centro, ao lado da Igreja do Rosário).

Outras informações: (88) 3613-2022 (Sedhas)
Endereços dos Cras e outras unidades AQUI

A Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas), por meio da Unidade de Gerenciamento de Projetos de Prevenção de Violências (UGPPVA) e da Coordenadoria dos Direitos Humanos, realiza, nesta quarta-feira (24/10), o I Seminário Direitos Humanos, Mídia e Comunicação. O evento acontece no Centro Integrado Sesi/Senai, durante todo o dia.

O início do seminário foi marcado por manifestações culturais (rap, poesia, charge e exposições de artes visuais) e uma roda de debates sobre "Mídia, comunicação comunitária e direitos humanos". Além de servidores públicos e acadêmicos, participaram das discussões jovens das comunidades dos Terrenos Novos, Nova Caiçara, Vila União e Sinhá Saboia, movimentos sociais e instituições governamentais e da sociedade civil.

"Estamos realizando a culminância do primeiro ano de atuação da nossa Unidade de Gerenciamento de Projetos de Prevenção de Violência e estou surpreso de ver as articulações que foram feitas ao longo deste ano, ao ponto de hoje termos aqui jovens dos territórios expondo o seu pensamento, as suas opiniões sobre os problemas sociais", afirmou o professor Júlio César Alexandre, secretário dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social.

A roda de debates contou com mediação de Thamila Santos, da Célula de Comunicação Colaborativa, Criativa e Cidadã da UGPPVA. As exposições ficaram por conta de Ana Carla Dubiela, escritora e professora de Jornalismo do Centro Universitário Inta (Uninta); do secretário geral da Ordem dos Advogados do Brasil em Sobral, Raphael Viana; de Kaio Vieira, do Coletivo Juventude Periférica; do blogueiro Valdemir Fortuna (Em Foco News) e de Gênesis Nunes, da Coordenadoria de Gestões Territoriais da UGPPVA.

Pela tarde, o seminário continua com os "bondes de trabalho", círculos de discussão de propostas temáticas com "Mídias periféricas e experiência do cotidiano: narrativas e resistências", "A Lente e a Lei: jurisdição processual e novas mídias", "Mídias, ciberdemocracia e ativismo digital" e "Mídias, ética e imaginário: comunicação e territorialidade". Ao final do evento, será lida e pactuada a Carta pela criação de uma política pública municipal de comunicação comunitária.

A Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas), com colaboração entre a Unidade de Gerenciamento de Projetos de Prevenção de Violências (UGPPVA) e a Coordenadoria dos Direitos Humanos, realizará, na próxima quarta-feira (24/10), o I Seminário de Direitos Humanos, Mídia e Comunicação, no SESI/Senai. O objetivo é discutir políticas de comunicação, de forma inclusiva, que privilegie a efetivação dos direitos humanos e a expressividade.

O Seminário contará com palestras na parte da manhã e discussões em grupo no período da tarde. Segundo Thamila Santos, da Célula de Comunicação Colaborativa, Criativa e Cidadã da UGPPVA, o Seminário pretende construir uma carta de compromisso pela elaboração de uma política de comunicação comunitária no município.

PROGRAMAÇÃO

08:00 - 8:30 Organizando o rolézin: é hora de ocupar! – Credenciamento

08:30 - 9:00 A arte da hora: “O Sol na Cabeça” – Intervenção Artística

09:00 - 9:30 Cola que é sucesso :) – Fala de abertura

09:30 - 12:00 Papo reto: Círculo de Ideias

Convidados: Ana Carla (Jornalismo INTA), Kaio Vieira (Juventude Periférica), Raphael Viana (Advogado SEDHAS) e Valdemir Fortuna (Blog Dom Expedido)

12:00 – 14:00 Almoço

14:00 - 14:15 Escolha seu bonde! – Credenciamento dos grupos de trabalho

14:15 - 14:35 A arte da hora: “Favela Vive!” – Intervenção Artística

14:40 - 16:30 Bondes de trabalho – Círculo de diálogo propositivo nos grupos de trabalho

  • Bonde 1 - Mídias Periféricas e Experiências do Cotidiano: Narrativas e Resistências

Facilitadores: Bicha Poética (Artista) e Jackson Soares (Jovem Comunicador)

Diz o que tu comunica daí que eu digo o que eu comunico daqui!

  • Bonde 2 - A Lente e a Lei: Jurisdição Processual e Novas Mídias

Facilitadores: Mikaelle Vasconcelos e Gysnaldo (Núcleo de Mediação de Conflitos)

Pode isso, Arnaldo? Ah, a regra é “clara”. Somos todos alvos. Somos?

  • Bonde 3 - Mídias, Ciberdemocracia e Ativismo Digital.

Facilitadores: Carlos Filho (Mídia Ninja) e Júnior Tavares (Produtor da Batalha da Caixinha)

Em terra de fake news, falar de democracia é lei!

  • Bonde 4 - Mídias, Ética e Imaginário: Comunicação e Territorialidades.

Facilitadores: Renan Dias (Movimento FOME) e Letícia Menoita (UGP - PV)

A escala de cores: se é negro é traficante, mas se é branco é jovem usuário.

16:30 - 16:50 Recado dado – Leitura da Carta de Pactuação elaborada pelo coletivo

16:50 - 17:00 Falow, foi sal! – Fala de Encerramento

Exposições e instalações artísticas:

  • UsoNep22k -  @gritoflores        
  • Herlon - @herlon.rabiscos
  • Germana Brito - @germanabritoaragao
  • Júnior Stamp - @jrstamp
  • Diego Clementino - @ilustrady
  • Joyce Ramos - @girassoldarua

Inscrição AQUI

Programação Completa e Alterações AQUI

(alterado em 23/10, às 13:46 para informar alterações na programação).

Representantes da Unidade de Gerenciamento de Projetos de Regularização Fundiária Urbana e Rural (UGPRFUR), unidade ligada à Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas), participaram de uma reunião no Tribunal de Justiça do Ceará para tratar de apoio e celeridade na regularização fundiária do Bairro Parque Santo Antônio.

Na ocasião, o coordenador da UGPRFUR, Aragão Pontes, e as gerentes Jéssica Loiola e Renata Farias foram recebidos pelo desembargador Airton Albuquerque, que acolheu as demandas apresentadas, propondo um termo de cooperação técnica entre o TJCE e o município de Sobral. "A previsão é de que o processo de regularização fundiária do Complexo Monsenhor Aloísio Pinto seja iniciado em novembro", disse Aragão Pontes. 

A Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/CE), finalizou a formação de mais uma turma do Curso de Pizzaiolo, ofertado pelo projeto Qualifica Sobral, integrante do programa #ocupaJuventude. Os beneficiados são moradores do Residencial Nova Caiçara, acompanhados pela Coordenadoria da Habitação da Sedhas.

"O curso visa atender o público do Residencial Nova Caiçara, com o objetivo de qualificá-los para a fabricação de pizzas e similares, utilizando máquinas, equipamentos, técnicas de qualidade, segurança e saúde", destacou a assistente social Reisglaucia Lobo, que acompanha os beneficiários dos cursos do #ocupaJuventude.

O #ocupaJuventude é uma iniciativa da Prefeitura de Sobral, em parceria com entidades do Sistema "S" e visa levar formação profissional à população. Cerca de 12 mil pessoas serão beneficiadas até 2020.

Fotos do encerramento do curso  AQUI