O município de Sobral receberá, ainda nesta semana, uma equipe de pesquisadores que irão avaliar o impacto do Programa Criança Feliz nas famílias beneficiárias. A pesquisa é feita com uma amostra entre as 750 famílias acompanhadas pela iniciativa no município de Sobral e foi implantada a partir de um termo de aceite proposto pelo então Ministério do Desenvolvimento Social (hoje, Ministério da Cidadania), em 2018, e assinado pelo secretário Julio Cesar Alexandre, gestor da Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas).

Em 2018, a equipe veio ao município para a primeira parte da pesquisa com as famílias. Neste ano, eles estão retornando para uma nova rodada de avaliação. Nesta terça-feira (15/10), a supervisora da pesquisa, Cristina Cunha, esteve na Sedhas e se reuniu com o secretário Julio Cesar Alexandre e com a coordenadora de Assistência Social, Neuverina de Albuquerque. A pesquisadora também se reuniu com a equipe responsável pelo programa.

"Parte da pesquisa de avaliação de impacto é a implementação. Nós estamos aqui para ter um encontro com as visitadoras do Programa Criança Feliz, vamos acompanhá-las nas visitas e, posteriormente, estaremos com uma equipe de seis pesquisadores visitando as crianças cuja avaliação de impacto iniciamos em 2018. A pesquisa é feita em seis municípios de grande porte do Ceará: Sobral, Juazeiro do Norte, Crato, Morada Nova, Caucaia e Itapipoca", disse a supervisora Cristina Cunha.

A Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas), por meio da Coordenadoria de Habitação e em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), realizou a aula inaugural do curso de Mecânico de Motor e Câmbio - Álcool e Gasolina.

O curso é ofertado por meio do programa #ocupaJuventude e vai beneficiar 15 jovens do Residencial Nova Caiçara, no período de 14 de outubro a 29 de novembro.

A população de Sobral compareceu às urnas, neste domingo (06/10), para escolher os membros dos Conselhos Tutelares para o período de 2020 a 2024. Pela primeira vez, foram eleitos dez membros para o colegiado. O prefeito Ivo Gomes sancionou, em abril deste ano, a lei que criou o segundo conselho do município.

O edital para o processo de escolha foi lançado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) no início de abril. No primeiro momento, os candidatos apresentaram documentações comprobatórias de serviços prestados na área de infância e adolescência, bem como de bons antecedentes. Depois, passaram por prova escrita. Do total de 48 inscritos inicialmente, 29 se qualificaram para concorrer.

Os dez mais votados comporão a nova formação dos Conselhos Tutelares de Sobral, em 2020. Os dez candidatos seguintes ficarão na suplência, podendo ser convocados em caso de ausência dos titulares (férias, licenças ou desistências).

A Prefeitura de Sobral, por intermédio da Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas), iniciará, no próximo mês de dezembro, a entrega de kits natalidade às gestantes de baixa renda acompanhadas pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS). A entrega dos kits, que faz parte da política de atenção à primeira infância no município, irá atender gestantes com renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até 1/4 do salário mínimo. Atualmente, conforme informações da Coordenadoria da Assistência, a média anual de gestantes atendidas pelo CRAS é de 150.

O kit Natalidade é composto por 26 itens, sendo: banheira, rede, fraldas de tecido e fraldas descartáveis, pomada pra assaduras, shampoo infantil, sabonete infantil, toalha, álcool para higienização do umbigo, algodão hidrófilo, bolsa maternidade, camisetas, colônia Infantil, conjunto pagão (01 Calça e 01 blusa manga longa), manta, meias, hastes flexíveis (cotonete), pomada para assaduras, sabonete neutro, shampoo neutro e toalha.  

Os itens de vestuário serão adquiridos da fábrica de roupas de bebê  Eduardo Baby (no distrito de Taperuaba). Já o algodão será adquirido da fábrica Spartex (instalada na sede do município), privilegiando assim a economia local.

Foi realizada nesta quinta-feira (26/09), no Centro de Convenções a sétima entrega do Selo de Acessibilidade de Sobral, conferido às empresas e instituições que colaboraram com a melhoria da Acessibilidade às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida em 2018. O Selo compõe a programação da XI Semana da Pessoa com Deficiência do município, sendo uma iniciativa da Prefeitura de Sobral, por meio do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência.
 
Na ocasião, conselheiros, militantes da luta das pessoas com deficiência e profissionais da área realizaram uma mesa redonda, que discutiu o tema da XI Semana: "Pessoa com deficiência: direitos, desafios e realizações". Conduziram o momento a presidente do Conselho, Cristina Nunes, a senhora Conceição Pontes (fundadora da Apae), as assistentes sociais Iara Leite (Apae) e Analysia Pimentel (ex-presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência), Daniele Lima (Grupo Mães Amigas) e Raquel Morano (Conselheira e Arquiteta da Secretaria do Urbanismo e Meio Ambiente). 
 
A vice-prefeita, Christianne Coelho participou da solenidade e parabenizou os agraciados, dizendo-se especialmente feliz em ver alguns órgãos públicos entre as organizações premiadas. 
Foram agraciados com o Selo as seguintes instituições e órgãos governamentais: na categoria Bronze, foi conferido reconhecimento à Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação (Crede 06); na categoria Prata, foram homenageados a Casa do Cidadão, o Laboratório Clínico de Sobral, a Escola de Música de Sobral, o CEI Jacyra Pimentel, a Defensoria Pública Geral do Ceará e o Serviço Social Dos Transportes e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat); na categoria Ouro, os contemplados foram a Faculdade Pitágoras, o Sobral Shopping, o Centro Clínico Plasfran e a Escola Edgar Linhares.
 
O Selo é conferido por iniciativa do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, através de uma comissão que avalia as instituições que mais investiram para a melhoria da acessibilidade. Cada empresa, instituição ou organização que foi sugerida é visitada e a Comissão faz uma avaliação minuciosa, atribuindo uma pontuação por cada realização (rampas, banheiros acessíveis, sinalização de estacionamento, dentre outras). A nota final, a partir da soma destes pontos é que define se a instituição a ser agraciada receberá o Selo e se ele será conferido na categoria Ouro, Prata ou Bronze.